• Jéssica Freitas

Resenha: A Estrela da Meia-Noite - Marie Lu

Atualizado: 1 de Nov de 2019


Sinopse: Adelina Amouteru sobreviveu à febre do sangue, fez uso de seus dons, formou seu próprio exército, vingou-se de seus traidores e conquistou a vitória. Mas seu reinado triunfante está ameaçado, e o inimigo não vem de fora; a sede de vingança da jovem levou seu lado cruel e sombrio a sair do controle, e ela terá que curar antigas feridas se quiser manter tudo o que conquistou. No desfecho da eletrizante trilogia Jovens de Elite, Marie Lu coloca sua protagonista diante de uma nova ameaça que a levará a revisitar fatos dolorosos do seu passado e a fazer uma aliança arriscada e difícil. Será que Adelina está preparada para se transformar na estrela da meia-noite e, finalmente, conhecer a paz?

Editora: Rocco Jovens Leitores

Nota: 5/5 ♥

Páginas: 336

Compre (e ainda apoie o blog ♥): Amazon


♥ RESENHA ♥

A Estrela da Meia-Noite traz um final surpreendente para a trilogia Jovens de Elite, de Marie Lu, e é para mim de longe o melhor volume dentre os três. ♥


Adelina conseguiu sua tão desejada coroa e agora reina não apenas em Kenettra, mas também em nações vizinhas, conquistadas durante seu primeiro ano de governo. E que governo! Aqui, Adelina está no auge de sua crueldade — ordenando execuções e criando leis duras contra os não-marcados — especialmente sem sua irmã Violetta para frear sua fúria descontrolada, e com todo o poder de uma rainha ao seu alcance.


Mas nem tudo é tão bom quanto parece. Ao contrário do que acreditava inicialmente, completar sua vingança contra todos que um dia lhe feriram não é o suficiente para acalmar seu coração ferido, e Adelina se vê constantemente a um passo da insanidade. Seu único aliado verdadeiro parece ser Magiano, por quem ela nutre sentimentos conflitantes; ora o quer por perto, ora acredita que ele quer apenas traí-la. De qualquer forma, o relacionamento dos dois é muito mais aprofundado neste último livro.


As vozes na mente de Adelina não se calam, frequentemente acompanhadas de ilusões fora de controle, e graças à sua má reputação junto ao povo, um novo perigo parece espreitar a cada esquina — isso tudo sem mencionar o problema descoberto no final de Sociedade da Rosa: todos os Jovens de Elite estão fadados a perecer, de um jeito ou de outro.


“Nossa existência desafia a ordem natural, desafia a própria Morte (...) Se não fizermos algo logo, não somente todos os Jovens de Elite perecerão, mas também o mundo.”

Desta vez também fiquei com a impressão que, além de contar a história de Adelina, A Estrela da Meia-Noite também abre muito mais espaço para os demais personagens, alternando com maior frequência os pontos de vista. A autora conseguiu trabalhar isso muito melhor nesse último livro. O leitor consegue acompanhar os dois lados da história, ver por si mesmo as consequências de cada pequena decisão na trama sem que a leitura fique muito lenta. Parece haver um conflito novo a cada capítulo.


A Estrela da Meia-Noite fluí ainda melhor do que o primeiro volume, que já havia sido bem agradável de ler, e consegue manter o leitor envolvido do início ao fim. Os personagens, o conflito central, os relacionamentos secundários...tudo o que achei que deixou a desejar em Sociedade da Rosa foi muito bem compensado aqui. Marie Lu conseguiu amarrar todas as pontas soltas e criar um desfecho inesperado, emocional e satisfatório para uma trilogia tão complexa. Eu jamais esperaria o conflito que ela criou para esse final. Praticamente devorei o livro todo de uma vez só.


Se já marcou a página do seu livro, vamos conversar sobre A Última Estrela aqui nos comentários? ♥

sobre
Mim

©2019 por marqueapagina. Orgulhosamente criado com Wix.com